20 de setembro de 2009

Fragmentos Diversos Perdidos Em Minha Agenda


Nada que existe escapa à transfiguração, não saberei que existi daqui a poucos anos. Fez-se muitas perguntas mas nunca pode responder: parava para sentir. A tragédia moderna é a procura vã de adaptação do homem ao estado de coisas que ele criou. Eu me sinto tão dentro do mundo que me parece não estar pensando, mas usando de uma nova modalidade de respirar. Não é o grau que separa a inteligência do gênio, mas a qualidade. Medo de não amar, maior que o medo de não ser amado. Que façam harpas de meus nervos quando eu morrer... A vida sempre nos deixa intocados. Conto apenas o que vi, não o que vejo (não sei repetir). Lalande - lágrimas de anjo. É o mar, que nenhum olhar ainda viu. A beleza das palavras, natureza abstrata de Deus.
Se amar um marinheiro terei amado o mundo inteiro. Essa tristeza leve é a constatação de viver. Meu filho crescerá de minha força e me esmagará com sua vida. Posso parir um filho e nada sei.
Compreende a vida porque não é suficientemente inteligente para não compreendê-la.
- Bom é viver. Mau é... Mau é não viver...
- Morrer?
- Não, não. Mau é não viver... morrer é diferente do bom e do mal.
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto, como o que sinto se transforma lentamente no que digo.


{Clarice Lispector}

3 comentários:

pequena disse...

♥ adoro seu blog flor,
to passando pra deixar
mil beijos e desejar boa semana!

xerim

Joy disse...

Simplesmente liiiindo!
Clarisse Lispector e suas escritas, são inenarráveis!


BJos

Vou Ser Feliz e Já Volto disse...

Obrigada Mah, pela visita, apareça sempre e que bom que está gostando.

Seu blog também é excelente e essa postagem, com o trecho de Clarice Lispector é simplesmente maravilhoso!

bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails