29 de abril de 2010

Pensando

-

Mais mudanças acontecendo. Comecei de novo, mas dessa vez, em um lugar nem um pouco chique, nenhum escritório em uma avenida movimentada e com técnicos de T.I bonitinhos... Pelo contrário, agora é em uma loja no centro da cidade, no meio do povão, barulho de ônibus, música alta da loja de sapatos da frente, MAS, pelo menos, dessa vez não tenho meu ramal tocando a cada 15 minutos, nem computador o dia todo, e sem planilhas a serem preenchidas, e o melhor, sem reuniões de duas horas com um chefe insuportável. Tenho alguma liberdade. As donas do local não pegam no pé, mas ficam sempre atentas para aconselhar e conversar com os funcionários. Elas sim, tem consiencia de que somos seres humanos e que todo mundo erra, por isso não gostam de dar bronca, mas um puchãozinho de orelha é sempre bem vindo.
Não é o trabalho dos sonhos... É cansativo, prende muito, mas no meu caso, pode vir a ser uma boa oportunidade de crescer como pessoa. É uma boa experiência, pois vou poder exercitar o meu lado mais "social", conversando mais, me expondo mais, enfim, melhorando uma série de coisas.
Pensei muitas vezes em desistir, mas não estou lá nem há 20 dias. E outra, vou ficar desistindo das coisas assim até quando? Não tem como! Por mais vontade que eu sinta um dia de largar tudo e voltar para a minha bolha utópica onde tudo é perfeito eu não posso fazer isso, não tem como ir contra a lei da vida, que ao meu ver, é a mudança!
Mudamos, ué! Mudamos e pronto! O difícil é aceitar que os anos passam... Que a escola já acabou e o cursinho também. É difícil aceitar que já não vejo mais meus amigos todos os dias, e nem que eu posso ficar na internet o dia inteiro fazendo nada! Mas mudar é preciso, enfrentar coisas novas todos os dias é importante. Desafios deixam a vida mais emocionante. Se não tenho desafios e nem coisas novas, o meu dia fica chato. Demorei pra perceber isso.
Nessa nova... fase, vou ter que abrir mão de algumas coisas, por exemplo, os meus Sábados! Ou então, aquele passeio com alguma amiga durante a tarde no shopping. Isso, daqui pra frente, vai ser cada vez mais raro, mas eu acredito que seja por uma boa causa (ou, pelo menos estou tentando acreditar). Ainda me sinto insegura, com vontade de me enfiar em um buraco e não sair mais, mas preciso acompanhar o tempo, se não fica difícil. Imaginem: um corpo de 60 com uma mente de 19 daqui há alguns anos, hahaha, fica no mínimo engraçado!
Estou com medo, preocupada, meio tensa, mas... Vamos lá, né? Um dia após outro... As recompensas vem com o tempo! (Será?).

21 de abril de 2010

"Talvez um voltasse,

-
talvez o outro fosse. Talvez um viajasse, talvez outro fugisse. Talvez trocassem cartas, telefonemas noturnos, dominicais, cristais e contas por sedex (...), talvez ficassem curados, ao mesmo tempo ou não. Talvez algum partisse, outro ficasse. Talvez um perdesse peso, o outro ficasse cego. Talvez não se vissem nunca mais, com olhos daqui pelo menos, talvez enlouquecessem de amor e mudassem um para a cidade do outro, ou viajassem junto para Paris (...) talvez um se matasse, o outro negativasse. Seqüestrados por um OVNI, mortos por bala perdida, quem sabe. Talvez tudo, talvez nada.

(Caio Fernando Abreu)

18 de abril de 2010

O mesmo de sempre

-
Eu não sei, mas estou com a sensação de estar parada no mesmo lugar. Parece que eu faço, faço e tento e... nada! Não adianta. Quando eu acho que esta tudo bem, que agora sim vai começar a dar tudo certo, sempre acontece alguma coisa que me desanima. Não sei. As pessoas já devem estar cansadas de me escutar, por isso nem falo mais nada porque ninguém vai querer ouvir, simples assim. Nada esta mais como antes. Não vejo mais meus velhos e bons amigos, não tenho músicas novas no computador, e muito menos fotos novas. Não faço nada de novo, me sinto estagnada.
As vezes eu acho que não consigo fazer nada porque tenho medo do mundo. Passei grande parte da minha vida colaca na barra da saia da minha mãe e protegida pelas paredes do meu apartamento... E agora que estou crescendo, já não caibo mais no colo e essas paredes já me sufocam...
É necessário, depois de um certo tempo, sair de casa, assumir responsabilidades, quebrar a cara mais do que o normal, fazer cagadas, conversar mais com as pessoas, até aprender a se defender... Mas isso assusta tanto, mas tanto, que quando penso na possibilidade de fazer algo errado, já acho que não vou conseguir nada e me da uma vontade imensa de desistir de tudo e voltar para as paredes do meu apartamento, para a minha pequena bolha, onde tudo funciona como eu quero, e no tempo que eu quero. Sem ninguém me dando ordens, ou brigando comigo, dando pitaco nos meus assuntos.
Creio que há implantado no meu cérebro, algo chamado de "falta de confiança em mim mesma". O medo de errar me consome, mas ai eu penso: sou ser humano, filha de Deus... Eu erro assim como todo mundo.
Ok, o que é dificil suportar pra mim, é o julgamento dos outros, os comentários pelas costas, os olhares, a vigilha... Me sinto filmada 24 horas por dia. É uma droga. Isso me deixa insegura.
Uma hora estou certa do que eu quero fazer e onde quero chegar, na outra hora fico em dúvida, se vou ou se fico, se arrisco ou jogo tudo pro alto de novo. Como é ruim ser assim, indecisa... Mas o que me conforta, é saber que não estou sozinha nesse grupo.

16 de abril de 2010

Triste, fato!

-

Eu estou irritadíssima e muito, mas muito chateada mesmo.
Onde já se viu tratar o sentimento dos outros assim? Você esta ficando louco? Qual é a sua, afinal? Eu fico igual uma idiota mandando mensagens e você nem pra responder; mal esta conversando comigo e quando fala alguma coisa, é extremamente grosso e ainda diz 'você não sabe da metade' e me larga lá, falando sozinha e se afasta como se eu tivesse alguma doença. Esta fugindo de mim porque? Peso na consciência? Esta achando que eu te traí no meu passeio a Av. Paulista? Pegou outra? Fala droga! Fala de uma vez, melhor e muito mais honesto você falar na minha cara do que ficar me tratando desse jeito, ignorando minhas ligações e sumindo o dia todo. Você ta achando o que? Que eu vou ficar correndo atrás de você pra sempre? Claro que todo mundo tem seus momentos de fraqueza, mas não vai ser pra vida toda, assim como não vai ser pra vida toda que vamos ficar nesse vai ou não vai!
Seja homem, conversa comigo que nem gente grande e PARA de dar xilique igual uma criança quando se perde da mãe! Pelo amor de Deus, que ridículo! RI-DI-CU-LO!
E ainda dizia todo cheio de orgulho: não é da minha índole fazer garota sofrer. E olha ai! O que você esta fazendo? EXATAMENTE o CONTRÁRIO do que você me disse uma vez!
A distância é difícil, é cruel, mas eu acredito que quando duas pessoas se desejam de verdade, qualquer sacrifício é válido pra fazer a porcaria da história valer a pena!
Eu estava tentando, juro pela minha alma como eu estava, mas tentar sozinha, sem ninguém pra corresponder não da, né? Fica meio difícil.
Chorei de ódio ontem. Isso mesmo: ÓDIO. Ódio por essa sua atitude que machuca, que faz perder o sono. Chorei, embora você não mereça.
Não vou mais atrás de você por enquanto. Vou resistir até onde eu conseguir (eu sei que não vai ser por muito tempo mesmo, porque eu AINDA me importo). Quando você estiver agindo de maneira honesta com os meus (e os seus) sentimentos e quando você for homem o suficiente pra abrir o jogo, a gente volta a se falar, enquanto isso, essa história vai continuar se remoendo na minha cabeça, e eu vou continuar com esse ódio dentro de mim, e essa vontade de morrer afogada nas minhas lágrimas.
Obrigada por ser tão frio.

14 de abril de 2010

É, pois é

-

Estava tudo tão lindo, que parecia não ser de verdade. Chega até a revoltar ao relembrar como eu estava radiante e nas nuvens de tão contente e me vendo agora, totalmente perdida de novo, triste, chateada, melancólica e porque não dizer um tanto quanto depressiva, sem ninguém pra conversar, então só me resta escrever. Drama? É, pode ser, não me importo. No começo, qualquer começo, de qualquer coisa (dependendo da coisa é claro), tudo é lindo, tudo são flores, tudo é risada, tudo é sonho e tudo é plano, mas ai, a droga do tempo passa e leva o que ele mesmo trouxe. Eu devia desistir dessa coisa de romance, ou sei lá como se chama isso, porque sempre acaba do mesmo jeito, em todas as vezes. Não que tudo tenha ido pros ares, não, não é isso, mas alguma coisa se perdeu, talvez um ato errado e pronto, pode ter sido o suficiente mas eu continuei tentando, correndo atrás, me esforçando e é claro, como eu já falei aqui, eu esperava o mesmo em troca, né? Como qualquer ser humano em perfeitas (ou nem tão perfeitas) condições mentais esperaria. Pode ser que dê tempo que recomeçar e consertar as coisas, mas as esperanças são bem pequenas, porém ainda existem. E se não acontecer o que eu tenho esperanças que aconteça, tudo bem, fazer o que, né? Riscos, estão ai pra isso.
Só tenho que esperar. Um dia após o outro. É, pois é. É assim.
-
Perdoem o sumiço.

Implicante

-
Hoje eu levantei com sono com vontade de brigar
Eu tô manero pra bater pra revidar provocação
Olhei no espelho meu cabelo e tudo fora do lugar
Vê se não enche não me encosta
Tô bravo que nem leão
E não pise no meu calo que eu te entorno feito água
E te jogo pelo ralo
Hoje você deu azar
Hoje você deu azar

De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça
De que vale seu cabelo liso e as idéias enroladas
Dentro da sua cabeça

Hoje eu vou mudar o teu destino
Te passar um pente fino
Então desfaça sua trança
Eu que sou tão inconstante
E você tão permanente
Com a gente tudo enrolado
Não adianta creme rinse
Corta as pontas da sua mágoa
Que hoje eu tô meio implicante
Hoje você deu azar
Hoje você deu azar

(Ana Carolina)

10 de abril de 2010

Quando Fui Chuva

-
Quando Fui Chuva
Maria Gadú
Composição: Luis Kiari e Caio Soh
Quando já não tinha espaço, pequena fui
Onde a vida me cabia apertada
Em um canto qualquer,
acomodei minha dança,
os meu traços de chuva
E o que é estar em paz
Pra ser minha sem ser tua
Quando já não procurava mais
Pude enfim nos olhos teus,
vestidos d'água,me atirar tranquila daqui
Lavar os degraus, os sonhos, as calçadas
E, assim, no teu corpo eu fui chuva...
jeito bom de se encontrar!
E, assim, no teu gosto eu fui chuva...
jeito bom de se deicar viver!

Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca
E, mesmo que eu te me perca,
Nunca mais serei aquela que se fez seca
Vendo a vida passar pela janela
:)

8 de abril de 2010

Conselhos

-

Muitas vezes são reconfortantes, principalmente naquelas horas em que estamos com alguma dúvida, conversar com alguém que nos passe confiança ajuda, melhora bastante. O difícil é achar no meio de tanta gente fria e falsa, alguém que te passe essa confiança, enfim...
Eu me cobro. Sim, porque seria ótimo se eu seguisse os meus próprios conselhos... Sou ótima ouvinte, dou minha opinião de um jeito sutil, mas nem sempre porque também não sou de ferro, mas na maioria das vezes os meus conselhos ajudam... os outros!
Não que eu seja um oráculo, nada disso, mas eu gosto de usar minha sensibilidade 'pisciana' reconfortante pra ajudar, pena que não consigo reverter isso a meu favor quando eu mesma preciso.
Ando angustiada, ainda mais hoje, que foi um dia estranho e por isso, fico toda perdida, com meu coração parecendo uma britadeira, procurando algum ombro pra chorar minhas pitangas, mas não encontro ninguém que não seja frio e falso pra me ouvir.
Mas também tem aquela história, né? Tipo assim: se eu não fizer, quem vai fazer por mim? Não tem jeito, mas se pelo menos eu seguisse o que eu falo pra muita gente: 'fica calmo', 'sempre tem um lado positivo', 'você vai conseguir', 'conte comigo sempre!', e por ai vai.
Eu, na maioria das vezes não consigo ficar calma; sofro incríveis crises de ansiedade e também é raro eu mesma me falar frases otimistas quando só o que vejo é a "metade do copo vazia". As vezes também acho que não vai dar certo e quando alguma coisa começa a dar errado, eu sou a primeira a correr de mim mesma, as vezes eu acabo me faltando!

7 de abril de 2010

Alfredo, é Gisele

-

"Sora vê, daqui do táxi a gente sabe é cada coisa... Sabe e aprende, aprende até a não ter preconceito. Eu vou dizer, cada um tem o seu segredo, tem seu cada qual. Nem que seja uma coisica de nada, no fundo todo mundo sabe que lá dentro tem uma verdade só dele que as vezes nem ele mesmo sabe. Outro dia peguei um casal assim já de meia idade, bem apeiçoado, lá no Centro, eles tinham ido vê uma tal de uma Ópera, sei lá. Já eram umas 11 e meia da noite, a gente veio bem até o Aterro, entramos em Botafogo e o trânsito emperrou. A mulher já azedou na hora e foi falando para o marido: - Que trânsito é esse, quase meia noite? Não é esquisito, Alfredo? E o tal do Alfredo parecia um homem rico, mas não era fino, sabe? E também não gostava dela não. O cara era uma múmia. A resposta dele pras conversas da mulher tava mais pra rosnado, sabe? - Alfredo, isso não é um absurdo? A gente aqui parado num trânsito quase de madrugada, não entendo, é estranho, hoje é sábado. Será que é algum acidente, Alfredo? Como o homem não dizia nada, eu acabei dando o meu pitaco:
- Madame simplesmente aqui, da licença, virou um lugar só de "homensexuais"e mulher gay. É cheio de barzinho deles, a rua toda. Fim de semana ferve. Quem quiser ver homem beijando homem e mulher beijando mulher, se beijando todo mundo junto é aqui mesmo. - Você ta ouvindo, Alfredo? Meu Deus, eles agora tem até bar pra eles, até rua. Não é um absurdo, Alfredo? - Ô Onça, ce me conhece, sabe bem como é que eu sou. Pra mim isso se resolve é na porrada. Se eu sou o pai, eu desço do carro e não quero nem saber o que é que entortou, o que é que virou, não quero saber o que é cú e o que é fechadura, baixo o sarrafo na cambada! Eu, com sem-vergonhice, o sangue sobe, eu viro bicho. - Que isto Alfredo pára de falar essas palavras de baixo calão, olha o que o médico falou né motorista? Eu dei o meu pitaco:
- Oh madame, o negócio que ele ta falando é que nem que eu vi lá no filme é uma metáfora. Ele não vai bater, vai só ficar zangado. - E o senhor sabe lá o que é metáfora? Fica aqui metendo o bedelho na nossa conversa aqui atrás. - Eu sei o que é metáfora sim! Pelo que eu entendi é assim: aquilo não é aquilo, mas é como se fosse aquilo. Então, em vez da gente dizer que aquilo é como se fosse aquilo, a gente diz que aquilo é aquilo. Mas não é. É como se fosse. Entendeu?
- Eu entendi, mas eu to chocada com essa libertinagem. Olha aquele homem... Alfredo, beijando outro homem, de bigode ainda, Alfredo! Olha Alfredo!
- E hoje ta até fraco. Eu falei. Hoje nem tem os “generais".
- Que generais?
- General é aquelas mulheres de coturno que parece meio assim um macho. E o outro tipo de general é aquele homem transformista que é a traveca, mas anda é na gillete mesmo.
- Ta ouvindo, Alfredo? Que decadência Alfredo.
- E a gente vai ter que ficar parado nesta merda, ô Coisa?
- Calma Alfredo, não fica nervoso! Isso é questão do nível das pessoas. A gente que tem... Não é motorista?... A gente tem um nível, a gente tem mais condições, temos que entender essa, essa, como é que eu digo, meu Deus?
- Putaria!
Falamos juntos, eu, ela e o tal do seu Alfredo.
- Cruzes Alfredo, olha aquela moça! Gente, uma menina, dezoito no máximo, e a outra maiorzuda no meio das pernas da coitadinha, fazendo sabe lá o quê! Tá vendo Alfredo aquela alí? Alí, aquela Alfredo, em cima do carro! Olha lá Alfredo, a mão da grandona na menina! Elas vão se beijar na boca, minha Nossa Senhora...
- Que transitozinho, hein jararaca? A gente não vem aqui em Botafogo nunca mais, tá ouvindo ô coisa!
- Mas Alfredo olha as duas meninas! Tá beijando, tá beijando, tá beijando Alfredo! Alfredo! Alfredo! Alfredo! Ela parece... Alfredo é Gisele! Alfredo! É nossa filha!!!
- Filha da puuuutaaa...
E desmaiou, o tal doutor me desmaiou, enquanto a jararaca da mulé saiu porta afora de sapato na mão atrás das duas e eu pensando: não quero nem saber, vou encostar o carro aqui mesmo e espero o resolver, que uma corrida dessa eu não vou perder, que eu não sou bobo e nem sou rico. É ruim de eu ir embora, heim? Ai eu fiquei naquela situação: eu com um cara que era um ex-valente todo desmaiado no banco de trás parecendo uma moça, a mulé pisando forte que nem um um macho, um general, indo atrás da filha, quer dizer, tudo trocado e eles reclamando da filha. Se eu pudesse, eu ia lá defender a moça, mas não posso, já que o negócio é de família, né? Eu não tenho preconceito não, mas é isso que eu tava falando pra senhora: daqui a gente sabe cada coisa! Mas é cada um com o seu cada qual. "

Texto fantástico de Elisa Lucinda

6 de abril de 2010

Saudades

-

Estou com saudades de você, do seu abraço, das suas mãos entrelaçadas com as minhas, do seu cheiro, dos seus olhos, da sua boca, do seu sorriso sincero, da sua voz, do seu beijo, de você inteiro!
Como eu poderia adivinhar que um simples clique em 'aceito', fosse se tornar algo dessa dimensão? Não tem como adivinhar, coisas assim simplesmente acontecem. Eu te encontrei ou você me encontrou? Acho que foi um REencontro! Sei lá, só sei que é como dizem por aí: tudo que é bom dura o tempo suficiente para se tornar inesquecível.
Acredito que de todos, eu nunca quis tanto que desse certo como eu quero que dê com você. Apesar da distancia entre nossos corpos, estamos juntos de alma, coração e mente. Mesmo que não seja o suficiente, já é grandioso e me conforta. Mas a cada dia que passa eu conto ainda mais o tempo pra estarmos juntos novamente. Antes era de dias em dias, depois virou de horas em horas, agora é de minuto em minuto. Você é a primeira coisa que eu penso quando abro meus olhos, e a última coisa que eu penso quando me deito, fora o intervalo entre esses dois pontos. Fico perdida quando não falo com você o dia todo. Pode parecer até meio bobo, mas é a mais pura verdade amor. Eu ando de um lado pro outro, meu coração acelera enquanto espera algum sinal de vida.
Você com o seu jeito 'pé no chão', determinado, calmo... Me da o equilíbrio de que preciso. Eu com meu jeito 'nas nuvens', chorona, dramática, confusa... A gente se completa, um equaliza o outro. Você não ignora os meus defeitos, mas valoriza as minhas qualidades e vice e versa, e isso me deixa mais segura pra intensificar ainda mais o que já temos.
Quero você logo. Estou doida pra me acomodar nos seus braços e ansiosa pra te encher de beijos, te fazer carinho até você enjoar de mim, rs. Quero que o tempo pare e por mim "o mundo não precisa nunca mais girar", vou estar com você e é isso que importa!
Não me esquece. "Pensa em mim que eu estou pensando em você".

s2

Gostar de ver você sorrir
Gastar das horas pra te ver dormir
Enquanto o mundo roda em vão (...)
Vermelhos são seus beijos
Quase que me queimam
Que meigo são seus olhos
Lânguida face
Seus beijos são vermelhos
Quase que me queimam
Que meigos são seus olhos
Lânguida face (...)

{Vermelho - Vanessa da Mata}

5 de abril de 2010

A rainha do drama

-

Ah, eu não sei, mas quando esta tudo andando muito bem, onde parece que não tem nada fora do lugar, eu fico ótima, radiante, falando pelos cotovelos. Mas é só parar pra pensar nas coisas que eu vejo todos os dias, é só parar pra ver como estão as situações além da rotina que eu fico triste, acordo com aquele humor, sabe? Tipo quando alguém fala bom dia e você pensa: só se for pra você!
Eu adoro um drama. Deve ser por carência... Vontade de ter alguém paparicando ou coisas do tipo, mas realmente, tem coisas que se for parar pra analisar, desanimam mesmo. Por exemplo: aquela pessoa que eu achava que era legal, companheira e mimimi na verdade é uma pessoa do tipo "balão": uma pessoa bonita por fora mas por dentro é cheia de vento! Ou então, relembrar os poucos dias em que eu fui para o escritório. Sim, até do meu trabalho eu sinto falta mas não pelas pessoas e muito menos pelo querido chefinho pirado, mas sim pelo dinheiro, rá (fui muito sincera)! Mas não, joguei tudo pro alto como já contei milhões de vezes aqui, e agora cá estou, mais uma vez me sentindo a mais parasita de todos os seres humanos e perdendo tempo, perdendo o meu precioso tempo que passa rápido demais! É deprimente.
Quando tudo esta indo para o lado errado, eu sinto vontade de dormir e dormir e dormir e só acordar com 30 anos, mas com a visão da menina do filme 'De repente 30', onde ela pensa que 30 é a idade do sucesso. De fato deve ser mesmo.
Coisas erradas desanimam, mas o tempo sempre trás o tapa na cara que eu preciso pra parar de fazer drama a correr atrás das coisas que eu quero. Eu sei que a vida não é fácil e que tudo tem seu lado difícil, chatinho e complicadinho. Ninguém nunca me disse que seria fácil... Mas posso me dar ao luxo de vez em quando de bater o pé e fazer birra.
Eu sei que eu posso começar de novo, eu tenho capacidade pra isso e muitas pessoas que me apoiam, mas o difícil é aquele ponta pé inicial. Tenho medo de ficar pra trás, parada, perdida, estagnada mas... o que importa é tentar e é o que eu vou recomeçar a fazer, com um certo atraso mas antes tarde do que nunca.

4 de abril de 2010

Passou rápido.

-

Oi pessoas do meu coração. Que saudades que eu estava do meu querido Blog e de todo mundo, é claro! Como foi o feriado de vocês? :D

Esse fim de semana passou rapidinho, do jeitinho que eu queria. Mas mesmo assim, deu para descansar, distrair, esquecer algumas coisas e lembrar de outras, as que realmente me fazem bem.
Muito bom ver o mar, o céu, ouvir aquele barulho e sentir a brisa tocar meu rosto de leve. E depois de uma manhã na praia, nada melhor no que um cochilo na rede antes do almoço... Com fones no ouvido, ouvindo Nando Reis no último volume e lembrando do meu amor e pensando em como seria bom se ele estivesse lá comigo *-* Até escrevi nossas iniciais na areia... Clássico como esse não poderia faltar, hehe; item de extrema importância na lista dos apaixonados de plantão!. E Sábado a tarde deu chuva, mas mesmo assim foi divertido. Eu e mais algumas pessoas muito queridas ficamos sentados em volta da mesa da cozinha, relembrando os dias em que o quarteirão da minha casa era mais movimentado... Tantas histórias, foi muito divertido ouvir meu avô contar todas elas, ri e me diverti!
Hoje de manhã voltei. Peguei a estrada feliz pois sabia que logo estaria na minha casa de novo, que tomaria banho no meu chuveiro e que dormiria na minha cama, graças a Deus, HAHAHAH. Mas voltei mas feliz ainda porque agora falta só mais uma semana pra eu ver o meu amor. Estou morrendo de saudades e estou contando o tempo para estar com ele! *-*
Por favor tempo, continue passando rápido assim, e só pare quando... eu estiver nos braços dele! :')



1 de abril de 2010

E lá vou eu... (de novo!)

-

Queridos, só passei aqui bem rapidinho pra avisar que eu estou indo viajar again e volto no Domingo :) Então, feliz Páscoa pra vocês, curtam muito esse feriado, descansem, abracem, beijem, façam amor, hehe!
Vou ficar com saudades mas... volto logo e também sou filha de Deus, né? Mereço uma praia em um fim de semana :)


Beijos.
Se cuidem.


____


Amor, não me esquece. Estou com saudades. Te quero muito. :*: s2

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails