19 de maio de 2010

Dois estranhos.

-

Depois de tantas conversas, tantas declarações, tantas frases e tantas músicas, eu pensei, eu realmente pensei que conhecia você mas me dei conta de que somos nada mais nada menos do que dois estranhos e que simplesmente acham que conhecem cada mania, cada ato, cada olhar um do outro. Nossos abraços são frios e superficiais... Muito diferente do carinho de duas pessoas que se amam de verdade e que se completam, que sabem de tudo um pouco sobre cada um. Estou me dando conta (do que não é novo, aliás) de que para se conhecer alguém, é necessário mais do que horas de conversas melosas no Messenger. É preciso convivência para saber como a pessoa é, como ela pensa, como ela age... Se não for assim, tentar manter um relacionamento na base da tecnologia fica definitivamente impossível! A cada dia mais, um pouco do pano que cobre o seu verdadeiro ser cai, e me dou conta de que tudo que eu achava que era já não é mais. Não que tenha perdido suas qualidades diante a meus olhos, mas quero dizer que seus defeitos tem se acentuado a cada dia que passa. Estou tendo a impressão de estar (ou, acho que estou, não sei) com uma pessoa que não sabe resolver os problemas relacionados ao coração (bléh, que piegas, mas é isso!), que usa o orgulho como um escudo inútil para se defender e que foge, simplesmente foge e ignora, não fala, não expõe os sentimentos, o que me deixa muito chateada, por sinal, pois não sei mais como agir.
Coisas desse tipo, que começam errado, tendem a terminar errado. Um encontro marcado de madrugada praticamente, em meio a luzes, música alta, os sentidos levemente afetados pelo álcool com certeza, não iria continuar como antes desse encontro. Pobre de mim que acreditei nisso.
Devido a todos esses fatos, mais uma vez, o que já não é novidade nem para esse lugar que uso para desabafar e nem para o idiota do meu coração, sofro e choro pensando em como esta sendo e em como poderia vir a ser. Eu sonho demais, mal do sígno talvez? Não sei, só sei que nenhuma das minhas tentativas estão dando muito certo até agora. A pasta de "Lembranças ruins" esta muito mais cheia do que a pasta de "Ótimas recordações".
Já me convenci de que não sei quem você é, não o conheço, não sei dos seus hábitos e costumes. O que você me diz já não é o suficiente. Antes eu queria mais que isso, eu tinha certeza absoluta que eu queria você, só você, mas agora, devido a todas essas conclusões, eu já não sei mais o que eu quero. Preciso pensar.
Agora quem esta confusa sou eu.

4 comentários:

Bruna Bianconi disse...

Eu tenho uma teoria HAHAHA: nunca se conhece alguém de verdade. Porque vamos ser realistas, nem a gente se conhece por completo, determinadas situações fazem a gente agir de forma que a gente nunca imaginou, mas isso não é desculpa pra ser superficial...
Isso é só uma teoria pra nunca se achar que conhece alguém de verdade, porque o que a gente conhece é o que cativa e o que a pessoa permite mostrar.
Sabe, essas confusões são comuns quando a gente descobre que nem tudo é como a gente imagina, mas essa confusão não é ruim, dói, mas nos faz crescer.
Aproveite seu momento de confusão, se permita mergulhar nisso e tirar um aprendizado pra vida toda.

Beijos

Fernanda Zanol. disse...

Talvez o problema seja que a gente fique imaginando demais. E aí acabamos idealizando as pessoas do jeito que a gente queria que elas fosse.
Sei lá, pelo menos eu tenho esse problema. E ele ferra com tudo. rsrs

beeeijo ;*

Paty disse...

Eu concordo c/ a Bruna e a Fernanda...

a gnt idealiza demais das pessoas e tal....

bjs

Franciele Valadão disse...

Seu blog é perfeito! Já estou te seguindo! Deixei um selinho pra você no meu blog. http://coracao-nomade.blogspot.com/2010/05/primeiro-selinho.html#comments

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails