14 de maio de 2010

Recaida

-

Ok, estamos evoluindo. Conseguimos manter um diálogo de mais de meia hora sem discutir, um grande avanço. Conversamos como dois estranhos no começo, depois de duas longas semanas sem trocar uma frase. Orgulhosos do jeito que somos, é claro que não queríamos dar o braço a torcer, mas eu, como sempre, sedi e te chamei. Combinamos um lugar para nos encontrarmos, desta vez sem ter briga e sem lágrimas. Pareceu simples. Fácil, fácil até demais, sabe? Sabe aquele papo de que quando a esmola é demais, o santo desconfia? Mas tudo bem, não falei nada pra evitar a fadiga. Já levei sermão demais essa semana.
Confesso que não sei andar de metro direito, mas não é nem o medo de me perder que me assusta nesse encontro, pois se isso acontecer, poderei perguntar pra alguém o caminho certo. O problema, é que estou com medo desse encontro, um mês e vinte e dois dias depois de um dos dias mais felizes da minha vida. Sabe lá Deus quais serão os assuntos abordados por nós dois. Pode ser que eu queira esclarecer as coisas, saber o que aconteceu esses dias em que nos estranhamos, colocar os pingos nos 'is', terminaremos ou talvez eu deixe quieto e simplesmente aproveitaremos o dia juntos. Tudo um grande ponto de interrogação.
Pelas suas atitudes, cheguei até a desanimar, pois não achava correto insistir em uma coisa a distância, quase que platônica e ainda sem sucesso algum e sem o encanto dos primeiros dias, mas depois de hoje, até que uma pequena chama de... esperança talvez, se instalou em mim novamente. Me odeio por isso; sou uma idiota por acreditar no que você diz e nas suas intenções mas é tudo tão sedutor, que eu não resisto!
Uma das perguntas que não quer calar dentro da minha mente é: apareceu outra nesse pequeno intervalo? Bom, não quis estragar o clima "sem brigas" com essa bomba, provavelmente você se irritaria e me deixaria falando sozinha e adeus encontro.
Meu coração e minha razão brigam frenéticamente. A razão diz que é óbvio que sim, pois um cara tão bonito e gentil não ficaria "a perigo" por tanto tempo, ainda mais com o número considerável de piriguetes que rondam você. MAS, ao contrário disto, o meu querido coração alega que você não ficou com outra, pois toda aquela declaração onde disse que queria estar comigo, queria poder sair e me ver e que carência e a saudade são muito grandes juntamente com suas semanas corridas e cansativas me levam a crer que não há chances para outra. Ah, e é claro, sem esquecer das inúmeras vezes em que me disse que não é de sua índole fazer este tipo de coisa. Confiando nisso, meu coração segue firme em seu "achometro" e a razão debocha do pobrezinho.
Enfim... É tudo muito complicado, mas... não custa nada tentar mais um pouco, se não der certo, pelo menos vou poder dizer que eu tentei.
São só algumas páginas do livro da minha vida, nem chegamos na página dois. Ainda bem que ainda existem a terceira, a quarta, a quinta...

Torçam por mim (yn).

3 comentários:

Camila. disse...

Seu blog é lindo e você escreve muito muito muito bem. Parabéns por tudo e boa sorte com o blog, beijo.

www.menina-normal.blogspot.com
Queria sua opinião sobre meu blog e meus textos.

Thainá Vivas disse...

Tô torcendo!

\o/

Paty disse...

querida Mah....

estou a torcer por vc...

e ñ se preocupe... se ele tah com outra, se arranjou outra, se as periquetes estão na volta...

deixa essa sua insegurança de lado...

confiança conta muito...

sim, sim .. apesar de muitos ñ dar valor a gnt neh

ms olha se for pra ser vai ser, como vc disse " pelo menos tentei"

e tentando q se consegue...

um dia vc vai encontrar algm muito especial, e qm sab ñ seja ele !!!

tem selinho lah no mue cantinho pra vc..... bjinhus querida, se cuida!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails