22 de setembro de 2010

Sem título.

-

Olha, não sei se é o destino, ou se é meu inferno astral mesmo, mas eu tenho passado por poucas e boas essas últimas semanas, viu? Estou tão surtada ultimamente, que todo mundo esta de prova de como larguei esse meu mundinho que eu amo tanto.
Ando confusa, estressada, irritada, só formando cenas do tipo: eu pegando a cabeça das pessoas e batendo na parede até sair suco de maracujá :).
Estou tão exausta desse leva e trás diário.
Eu até entendo o outro lado da moeda: idade, solidão, nacionalidade, tempo. Eu concordo até a página 02; eu sei que eu tenho que crescer, que ficar em casa não vai me mostrar como realmente funciona o mundo e a cabeça desordenada dos seres humanos (que aliás, quanto mais conheço, mais amo meu cachorro). Mas espera ai, eu estou lá pra fazer minha grana, não para ser criada de novo sendo que a minha mãe fez isso muitíssimo bem. Odeio quando falam que sou boba, insinuando que eu não sei fazer nada direito, que sou mole e o inferno a quatro. Eu SEI que é óbvio que eu não sou tudo isso, eu sei do meu valor, apesar de tudo eu sei, mas imaginem uma pessoa falando isso pra você em um tom irônico TODO SANTO DIA! Olha, tem que ser O CARA pra aturar. Eu admiro aquelas pessoas que trabalham lá há muitos anos. Mas eu não gosto, aliás, eu #vouconfessarque ODEIO ter que fingir todos os dias que esta tudo bem, só pra não ouvir sermão repetido todos os dias. Não tenho estômago forte o suficiente pra tanta falsidade, tanta hipocrisia! Como me irrita ter que ficar calada enquanto me falam absurdos e o que é pior, eu tenho que levar para o "lado positivo, falam isso para o meu bem e para o meu crescimento" e blá blá blá. Ai quando eu me irrito e a máscara cai da minha cara e eu falo umas verdades, ai nossa né, eu sou mimada, mal educada, criança, tonta, e mais um monte de coisas. Eu tenho chegado em casa extremamente irritada, descontrolada, dando patadas em pessoas que não tem absolutamente nada a ver e tudo isso por ser fraca e por não saber separar os sentimentos. Sou sensível droga, sou assim, o que querem que eu faça?
Mas eu já entendi qual o esquema: aceitar calada e respeitar as ordens, fingir que mudei mas quando na verdade sou a mesma menina de sempre, que gosta de NxZero, que gosta de escrever, que gosta de sair, que fala as bobagens mesmo, sem filtrar. É assim, só me resta aceitar.
Preciso parar de surtar e não posso mais deixar o medo tomar conta dos meus dias. É dificil aprender a confiar em si próprio quando tem vários fatores que vão contra isso. Serão essas dificuldades testes criados pelas mãos de Deus para saber até onde eu consigo chegar? Até qual ponto posso (sem saber que sou) ser forte o bastante?
Eu sei que eu preciso desses dias de cão, bem no fundinho eu sei que eu preciso, mas o foda é
parar de ser orgulhosa e aceitar as coisas como são, porque claro que como qualquer adolescente, manter e defender a vida protegida nas asas dos pais e ter a verdadeira identidade, o lado "podre" de ser escondida atras de uma tela de computador é mil vezes mais fácil do que sair da zona de conforto e tentar fazer alguma coisa nessa droga de vida que REALMENTE vale a pena!

-

Seguidores amados, MIL PERDÕES!
Como vocês estão?
Eu sumi, desapareci, mas não deixo de passar no Blog de vocês, estou sempre espiando, só me falta palavras e paciência últimamente, mas tudo passa e logo eu vou melhorar :)
Eu amo meu cantinho e não largo ele por nada nesse mundo, e eu amo vocês também, pessoas lindas!

Me sigam no Twitter, essa coisa viciante: @mah_trevizan

:*

4 comentários:

BIANCA disse...

Amiiigaaaa...eu quero te dar um abraço terapêuticooo!!!!


Bjooo

Clara disse...

"Até sair suco de maracujá" Eca! oO

Já aconteceu comigo de odiar com todas as minhas forças o meu trabalho, mas eu não era tão forte como você e acabei dando uma banana e fugindo daquilo tudo... Essa não é a melhor opção, pelo menos não é um bom conselho, acho.

Mas, até que me convençam do contrário, eu considero na vida curta demais pra ficarmos sofrendo. Grana todo mundo precisa, mas existem tantas possibilidades por aí...

Dizem que quando a gente é forte, vem uma recompensa maravilinda depois das dificuldades. Se é o seu caso, pode ser que valha a pena :)

Carol Fonseca disse...

putz,força ae!!
beijão!

Bonaretti disse...

ser sensível nesse mundo requer muita coragem. Muita. Todo dia. Esse jeito de ver além dos olhos, de ouvir além dos ouvidos, de sentir a textura do sentimento alheio, tão clara, no próprio coração. Essa sensação, às vezes, de ser estrangeiro e não saber falar o idioma local, de ser meio ET, uma espécie de sobrevivente de uma civilização extinta. Essa intensidade toda em tempo de ternura minguada. Esse amor tão vívido em terra em que a maioria parece se assustar mais com o afeto do que com a indelicadeza. Esse cuidado espontâneo com os outros. Essa vontade tão pura de que ninguém sofra por nada. Esse melindre de ferir por saber, com nitidez, como dói ser ferido. Ser sensível nesse mundo requer muita coragem. Muita. Todo dia. Essa saudade, de fazer a alma marejar, de um lugar que não se sabe onde é, mas que existe. Essa possibilidade de experimentar a dor, quando a dor chega, com a mesma verdade com que experimenta a alegria. Essa incapacidade de não se admirar com o encanto grandioso que também mora na sutileza. Essa vontade de espalhar buquês de sorrisos por aí, porque os sensíveis, por mais que chorem de vez em quando, não deixam adormecer a ideia de um mundo que possa acordar sorrindo. Pra toda gente.
Eu até já tentei ser diferente, por medo de doer, mas não tem jeito: só consigo ser igual a mim.bjs
adorei sua visita em meu blog
Ana Jácomo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails